Os ecos de dor e resistência indígena na poesia de Graça Graúna

Publicado por Agência Radioweb -

Os ecos de dor e resistência indígena na poesia de Graça Graúna
Compartilhe em suas redes sociais:

Nesta semana, o professor de literatura Rogério Duarte indica a leitura dos poemas de uma das principais escritoras indígenas em atividade no Brasil: a professora e poeta Graça Graúna, nascida no Rio Grande do Norte e descendente do povo Potiguara. Com uma voz poética coletiva, os versos de Graça cantam a dor e a resistência que atravessam a memória ancestral de diferentes povos indígenas em mais de 500 anos de história. Os poemas da autora podem ser encontrados nos seguintes sites: ims.com.br/convida/graca-grauna e revistaacrobata.com.br/acrobata/poesia/3-poemas-de-graca-grauna/. Foto de Íris Cruz/Tribuna de Minas/Reprodução

Nesta semana, o professor de literatura Rogério Duarte indica a leitura dos poemas de uma das principais escritoras indígenas em atividade no Brasil: a professora e poeta Graça Graúna, nascida no Rio Grande do Norte e descendente do povo Potiguara. Com uma voz poética coletiva, os versos de Graça cantam a dor e a resistência que atravessam a memória ancestral de diferentes povos indígenas em mais de 500 anos de história. Os poemas da autora podem ser encontrados nos seguintes sites: ims.com.br/convida/graca-grauna e revistaacrobata.com.br/acrobata/poesia/3-poemas-de-graca-grauna/. Foto de Íris Cruz/Tribuna de Minas/Reprodução

Deixe seu comentário

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *